Sites Grátis no Comunidades.net



Eletroportateis
CUPOM - 12% FVCZSXKDNV

Livros
20% em Livros CUPOM AE9F-6D67-E41F-14DA

 

 

Cupom com R$ 50,00 de desconto em desktops
KMBGTLAGWV

 

Webmaster,

Rentabilize o seu site com a Netaffiliation

 

 

Revista Contigo

 

Tênis Nike Air Dictate 2 MSL W
Por R$ 169,90
Multifuncional HP Deskjet Ink Advantage 3516, Wi-Fi, Imprime, Digitaliza e Copia - Jato de Tinta Térmica e-All-in-One
Por R$ 290,03



Total de visitas: 2057919
Busonid
Busonid

Laboratório

Aché

 

 

Apresentação de Busonid Aerossol Nasal

Aerossol nasal 50 MCG. Frasco com 10 mL (correspondente a 200 doses); aerossol com válvula dosificadora.

 

 

Busonid Aerossol Nasal - Indicações

Tratamento preventivo de rinites, tais como rinite alérgica sazonal e perene, rinite não-alérgica, e no tratamento e prevenção de pólipos nasais.

 

 

Contra-indicações de Busonid Aerossol Nasal

O medicamento não deve ser administrado aos pacientes sensíveis a budesonida ou outros corticosteróides e também a qualquer outro componente da fórmula.

 

 

Advertências

BUSONID (budesonida) Aerossol Nasal deve ser administrado com cautela em pacientes com tuberculose pulmonar aguda ou quiescente; infecções fúngicas, virais e bacterianas graves ou sem tratamento e herpes ocular simples. Deve-se ter cautela em portadores de glaucoma, catarata, cirrose hepática, osteoporose e úlcera péptica. A passagem de um tratamento oral com corticosteróides para um tratamento com BUSONID (budesonida) Aerossol Nasal deve ser lenta e gradual, devido principalmente à lenta normalização da função adrenal, previamente alterada pela corticoterapia oral. Essa transferência pode desmascarar condições alérgicas ocultadas pela terapia sistêmica. Pode ser usado em casos de úlcera de septo recentes, epistaxes recorrentes, trauma nasal e cirurgias nasais recentes, desde que o quadro esteja controlado e com supervisão médica rigorosa. Em casos de irritação ou infecção fúngicas ou bacterianas locais, deve-se descontinuar o tratamento com BUSONID (budesonida), enquanto o tratamento específico é instalado. A medicação não deve ser utilizada nos olhos. Crianças possuem tendência à absorção de maiores quantidades de corticosteróides, estando mais propensas à toxicidade sistêmica. Terapia com corticosteróides pode aumentar o risco de desenvolvimento de infecção grave ou fatal em indivíduos expostos a patologias virais como varicela ou sarampo.

 

 

Uso na gravidez de Busonid Aerossol Nasal

Categoria de risco: B. Os estudos em animais têm demonstrado que os corticosteróides podem produzir vários tipos de malformações fetais, mas que não foram confirmados em estudos controlados em mulheres grávidas. Baseado em dados obtidos em humanos com a budesonida inalatória, esta poderá ser recomendada caso um corticóide intranasal seja iniciado durante a gestação. Classificado como categoria B na classificação de risco de fármacos para gestantes da ANVISA. O aleitamento materno é seguro durante o tratamento com BUSONID (budesonida) Aerossol Nasal, pois não é excretado para o leite materno. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

 

 

Interações medicamentosas de Busonid Aerossol Nasal

Não se observou, até o momento, a existência de interações medicamentosas. Não há interferência pela ingestão de alimentos ou álcool.

 

 

Reações adversas / Efeitos colaterais de Busonid Aerossol Nasal

As reações adversas associadas à aplicação intranasal de budesonida em pacientes com rinite, alérgica ou não, mais freqüentemente comunicadas são: disfonia (5 a 50% com o uso de corticóides em geral), irritação cutânea transitória ao redor do nariz, faringite, aumento da tosse, epistaxe, boca seca, náusea, dispepsia, disgeusia (maiores que 1%). Pode ocorrer dermatite perinasal. Também foram relatados: nervosismo, dispnéia, monilíase, sibilos, hiposmia e dor local (menor que 1%). O uso de corticóides intra-oculares pode ocasionar aumento da pressão intra-ocular em aproximadamente 30% dos pacientes. Não foi feita associação direta do uso intranasal do corticóide com aumento da pressão intraocular ou glaucoma. A incidência de catarata em pacientes menores de 70 anos utilizando a budesonida intranasal é similar aos indivíduos não-usuários da medicação.

 

 

Busonid Aerossol Nasal - Posologia

A posologia deve ser individualizada com o intuito de chegar a menor dose eficaz para aquele paciente. Como orientação geral, recomendam-se as seguintes doses: Crianças a partir de 6 anos: Dose terapêutica usual: 2 aplicações em cada narina, 2 vezes ao dia ou 4 aplicações em cada narina pela manhã (400 mcg/dia). Quando se obtêm os resultados do tratamento ou quando os sintomas regredirem, deve-se procurar a menor dose eficaz. Em ensaios clínicos, o uso de 800 mcg diários resultou apenas em melhor eficácia no tratamento do sintoma rinorréia, mas não com relação aos sintomas de obstrução nasal, lacrimejamento e espirros, quando compara- se com as doses usuais. Outros estudos clínicos mostraram que essas doses maiores foram eficazes na redução do tamanho de pólipos nasais e na redução da congestão da mucosa nasal. Não está estabelecida a eficácia e segurança da budesonida em crianças abaixo de 6 anos. Para maiores de 12 anos e adultos: Recomenda-se 2 aplicações em cada narina 2 vezes ao dia ou 4 aplicações 1 vez ao dia (400 mcg/dia) no tratamento da rinite alérgica. Há estudos demonstrando eficácia na polipose nasal com 200 a 400 mcg 2 vezes ao dia. BUSONID (budesonida) Aerossol Nasal tem início de ação por cerca de 10 a 24 horas.Os efeitos terapêuticos máximos geralmente são alcançados entre 3 a 7 dias após inicio do tratamento com BUSONID (budesonida) Aerossol Nasal e as doses podem ser aumentadas ou diminuídas conforme critério médico, o estado do paciente e a gravidade dos sintomas. É importante que o paciente compreenda que o tratamento não está destinado a obter um alívio rápido, mas sim duradouro, e empregá-lo de forma regular. Uma vez que a adequada redução dos sintomas for obtida, a dose deve ser lentamente reduzida a cada 2 a 4 semanas, até que o efeito necessário seja mantido com a menor dose possível; caso os sintomas reapareçam, a dose deve retornar por um breve período à dose inicial e, a seguir, ser novamente reduzida. Em alguns ensaios clínicos, a budesonida via nasal foi utilizada em crianças até 4 anos de idade, no entanto, a segurança e eficácia em crianças abaixo de 6 anos de idade ainda não foram estabelecidas.

 

 

Superdosagem

A sua baixa atividade sistêmica faz com que o risco de intoxicação com BUSONID (budesonida) Aerossol Nasal seja muito improvável, principalmente a intoxicação aguda e não sendo dose-dependente. De qualquer forma, a interrupção do tratamento seria suficiente para fazer desaparecer os sintomas de intoxicação. Se em alguma circunstância especial aparecerem sintomas de hipercortisolismo ou de insuficiência adrenal, deve-se descontinuar gradualmente o uso de BUSONID (budesonida) Aerossol Nasal (como na corticoterapia sistêmica) e corrigir o desequilíbrio eletrolítico com diuréticos que não afetem o potássio, tais como a espironolactona.

 

 

Busonid Aerossol Nasal - Informações

BUSONID (budesonida) Aerossol Nasal contém em sua fórmula um único princípio ativo, a budesonida, um glicocorticóide não halogenado com elevada ação antiinflamatória local e atividade sistêmica muito baixa. Seu início de ação ocorre em cerca de 10 a 24 horas após a administração, com pico de ação de 1 dia a 2 semanas. Os corticosteróides têm vários mecanismos de ação, incluindo atividade antiinflamatória, propriedades imunossupressoras e ações antiproliferativas. Os efeitos antiinflamatórios resultam da redução da formação, liberação e atividade dos mediadores inflamatórios (ex.: cininas, histamina, liposomas, prostaglandinas e leucotrienos). Assim há redução das manifestações iniciais do processo inflamatório. Os corticóides inibem a marginação e subseqüente migração celular para o sítio inflamatório e também reverte a dilatação e aumento da permeabilidade vascular local, levando a redução do acesso celular ao sítio. Essa ação vasoconstritora reduz o extravasamento vascular, o edema e o desconforto local.